18/02/2019 07h32 - Atualizado em 18/02/2019 07h32

Sergio Nogueira participa de reuniões que discutem o aumento nas contas de energia

Por: Assessoria
 
 
Vereador Sergio Nogueira durante reunião na Assembleia Legislativa Vereador Sergio Nogueira durante reunião na Assembleia Legislativa

No último mês, as contas de energia chegaram a saltar mais de 200% em Mato Grosso do Sul. Preocupado com a situação dos moradores de Dourados, o vereador Sergio Nogueira (PSDB), em companhia da vereadora Daniela Hall (PSD), participou no dia 12 de uma reunião na Assembleia Legislativa de MS, solicitada pelo Deputado Estadual Marçal Filho-PSDB com a diretoria da Energisa e representantes do Procon/MS para discutir o aumento dos valores das contas de energia elétrica repassados à população do estado.

A reunião contou com a presença de deputados estaduais, vereadores, Procon estadual e, no público, líderes de associações de moradores que se revoltam com os valores.

"A reunião foi muito produtiva. Os parlamentares questionaram acerca do número elevado de reclamações sobre o valor alto das contas de energia elétrica do mês de janeiro. O representante da Energisa apresentou inúmeros gráficos demonstrando que houve um consumo maior durante todos os meses do ano de 2018 e que no período de dezembro, devido ser um mês com o calor atípico, somado ao período de férias em que a presença é maior da família em casa, o consumo também é maior e por isso o valor da conta ser maior", menciona Sergio Nogueira.

Já na Câmara Municipal de Dourados, no dia 14, houve uma Audiência Pública proposta pela vereadora Daniela Hall (PSD) em que foram apresentadas pela Energisa as tabelas que apontam um percentual maior quando o consumo ultrapassa os níveis da tabela, o que muitas vezes faz com que a conta venha em um valor ainda superior ao dos meses anteriores e por isso causa espanto na população.

A Energisa garantiu, na reunião, que faz apenas o serviço de distribuição da energia elétrica, fazendo com que chegue aos lares dos consumidores. Do valor cobrado do usuário, apenas 20% fica para a Energisa cobrir os custos com a manutenção das redes, ampliação e investimentos. Já 34% é o percentual para cobrir custos de geração e transmissão até o ponto de onde a empresa se responsabiliza e 36% são para o Governo Federal, Estadual e Municipal com as taxas e impostos.

"A Agepan é um órgão fiscalizador no Estado de MS o qual envia informações colhidas para a Aneel, órgão regulador nacional para todas as concessionárias do país. Então, a Energisa sendo fiscalizada por estes órgãos, precisa cumprir com as resoluções e as diretrizes. Nosso papel é cobrar essas fiscalizações e transparência para a comunidade", ressalta Sergio Nogueira.